sábado, 13 de abril de 2013

Evangelho (João 6,16-21)

Sábado, 13 de Abril de 2013
2ª Semana da Páscoa


A- A+


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

16Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. 17Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles.
18Soprava um vento forte e o mar estava agitado. 19Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-se da barca. E ficaram com medo.
20Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. 21Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia Internacional da Mulher


No final da reunião do Conselho Permanente da CNBB, nesta tarde de 7 de março, os bispos divulgaram uma Nota Oficial da Conferência, assinada pela Presidência, na qual saudam e agradecem as mulheres em sua data mundial.
Veja a Nota:

NOTA DA CNBB PELO DIA INTERNACIONAL DA MULHER
Nós, bispos do Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB, reunidos em Brasília-DF, de 05 a 07 de março, queremos homenagear todas as mulheres por ocasião do Dia Internacional da Mulher – 8 de março. Neste dia, em particular, “a Igreja agradece todas as manifestações do ‘gênio’ feminino surgidas no curso da história, no meio de todos os povos e Nações; agradece todos os carismas que o Espírito Santo concede às mulheres na história do Povo de Deus, todas as vitórias que deve à sua fé, esperança e caridade; agradece todos os frutos de santidade feminina” (Beato João Paulo II, A Dignidade da Mulher, n. 31)
Saudamos e agradecemos, de modo especial, às mulheres que, por sua vocação, missão e empenho na superação de todo tipo de violência, possibilitam a construção de uma cultura de paz no ambiente familiar e social. Reconhecemos que, “face a inúmeras situações de violência e tragédias, são quase sempre as mulheres que mantêm intacta a dignidade humana, defendem a família e tutelam os valores culturais e religiosos” e apontam sinais de esperança, como falou Bento XVI (Angola, 2009).
Ao mesmo tempo, lamentamos que ainda persistam situações em que a mulher seja discriminada ou subestimada por ser mulher. A Igreja, por sua missão, une-se a todas as pessoas de boa vontade para eliminar as pressões familiares e os argumentos sociais, culturais e até mesmo religiosos, que usam a diferença dos sexos para justificar atos de violência contra a mulher, tornando-a objeto de atrocidades e de exploração.
Alegra a todos nós e à sociedade constatar que, cada dia mais, cresce a consciência da dignidade e do papel da mulher, que fortalece seu protagonismo marcante e significativo na vida política, social, econômica, cultural e religiosa da sociedade brasileira.
Merecem, ainda, nosso reconhecimento e gratidão, a dinâmica presença e a atuação das mulheres na vida e na ação evangelizadora da Igreja, expressa pela sua vocação vivida no exercício dos vários ministérios, organismos, pastorais e serviços na construção do Reino de Deus no hoje de nossa história.
Desejamos que, no cuidado da vida e no exercício da caridade e da cidadania, as mulheres continuem sendo testemunho de perseverança nos caminhos que conduzem à justiça e à paz.
Nossa Senhora Aparecida, Mãe de Jesus e nossa, modelo de mulher, mãe, esposa e trabalhadora, ilumine e proteja as mulheres de nosso país.

Brasília-DF, 07 de março de 2013

Dom José Belisário da Silva
Arcebispo de São Luís do Maranhão
Presidente da CNBB em exercício  

Dom Sergio Arthur Braschi
Bispo de Ponta Grossa - PR
Vice-Presidente da CNBB em exercício

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Bispo Auxiliar de Brasília
Secretário Geral da CNBB

Santo do dia


Santo João de Deus
1495-1550
Fundou a Ordem dos
Irmãos hospitaleiros

 São João de Deus

João Cidade Duarte nasceu no dia 08 de março de 1495 em Montemor-o-novo, perto de Évora, Portugal. Seu pai era vendedor de frutas na rua. Da sua infancia sabemos apenas que, João, aos oito ou fugiu ou foi raptado por um viajante, que se hospedou em sua casa. Depois de vinte dias, sua mãe não resistiu e morreu. O pai acabou seus dias no convento dos franciscanos, que o acolheram. 

Enquanto isso, João foi à pé para a Espanha rumo à cidade de Madrid, junto com mendigos e sanltimbancos. Nos arredores de Toledo, o viajante o deixou aos cuidados de um bom homem, Francisco Majoral, administrador dos rebanhos do Conde de Oropesa, conhecido por sua caridade. Foi nessa época que ganhou o apelido de João de Deus, porque ninguém sabia direito quem era ou de onde vinha.

Por seis anos Francisco o educou como um filho, ao lado de sua pequenina filha. Dos catorze anos até os vinte e oito João trabalhou e viveu como um pastor. E quando Francisco decideu casa-lo com sua filha, de novo ele fugiu, começando sua vida errante.

Alistou-se como soldado de Carlos V e participou da batalha de Paiva, contra Francisco I. Vitorioso, abandonou os campos de batalha e ganhou o mundo. Viajou por toda a Europa, foi para a África, trabalhou como vendedor ambulante em Gibraltar. Então, qual filho pródigo, voltou à sua cidade natal, onde ninguém o reconheceu, pois os pais já tinham falecido; novamente rumou à Espanha, onde abriu uma livraria em Granada. 

Nessa cidade, em 1538, depois de ter ouvido um inflamado sermão proferido por João d'Ávila, que a Igreja também canonizou, arrependido dos seus pecados e tocado pela graça, saiu correndo da igreja, e gritou: "misericórdia, Senhor, misericórdia". Todos riram dele, mas João de Deus não se importou. Distribuiu todos os seus bens aos pobres e começou a fazer rigorosas penitências. Tomado por louco foi internado num hospital psiquiátrico, onde foi tratado desumanamente. Depois de ter experimentado todas as crueldades que aí se praticavam e orientado por João d'Ávila decidiu fundar uma casa-hospitalar, para tratar os loucos. Criou assim uma nova Ordem religiosa, a dos Irmãos Hospitaleiros. 

Ao todo foram mais de oitenta casas-hospitalares fundadas, para abrigar loucos e doentes terminais. Para cuidar deles, usava um processo todo seu, sendo considerado o precursor do método psicanalítico e psicossomático, inventado quatro séculos depois por Freud e seus discípulos. João de Deus, que nunca se formou em medicina, curava os doentes mentais utilizando a fé e sua própria experiência. Partia do princípio de que curando a alma, meio caminho havia sido trilhado para curar o corpo. Ele sentia a dualidade da situação do doente, por te-la vivenciado dessa maneira. João de Deus sentia-se pertencer ao mundo dos loucos e ao mundo dos pecadores e indignos e, por isso, se motivou a trabalhar na dignificação, reabilitação e inserção de ambas as categorias. Um modelo de empatia e convicções profundas tão em falta, que várias instituições seguiram sua orientação nesse sentido, tempos depois e ainda hoje.

Depois, João de Deus e seus discípulos passaram a atender todos os tipos de enfermos. Seu mote era: "fazei o bem, irmãos, para o bem de vós mesmos". Ele morreu no mesmo dia em que nasceu, aos cinqüenta e cinco anos, no dia 8 de março de 1550. Foi canonizado pelo Papa Leão XIII que o proclamou padroeiro dos hospitais, dos doentes e de todos aqueles que trabalham pela cura dos enfermos.

Hoje a Ordem Hospitaleira São João de Deus, é um instituto religioso, internacional, com sede em Roma, composto de homens que por amor a Deus se consagram à hospitalidade misericordiosa para com os doentes e necessitados em quarenta e cinco países dos cinco continentes.
wwww.paulinas.com.br

quinta-feira, 7 de março de 2013

Retiro

No dia 06 de março, aconteceu o retiro com os seminaristas, o retiro foi organizado pelo Pe. Reginaldo e o Cl. Adriano, o tema foi São Luis Orione e a Santidade. Em uma tarde agradavel todos puderam refletir tranquilamente, o encerramento foi com o missa presidida por Pe. Reginaldo.







Santo do Dia


Santas Perpétua e FelicidadeSantas Perpétua e Felicidade. Numa perseguição que se desencadeou em Cartago, foram presos nesta cidade cinco catecúmenos, entre os quais uma escrava chamada Felicidade e uma mulher, ainda nova e de posição, chamada Perpétua. A primeira estava grávida de oito meses e a segunda tinha uma criança de peito. Receberam o batismo enquanto estavam presas. 

Permitiram a Perpétua que levasse consigo o filho para o cárcere. Chegado o interrogatório, ambas confessaram abertamente a fé e foram condenadas a ser lançadas às feras no aniversário do imperador Geta. A mãe foi então separada do seu filhinho. "Deus permitiu que ele não voltasse a pedir o peito e que ela não fosse mais atormentada com o leite", escreveu Perpétua no diário que foi fazendo até o dia da sua morte. Narra em seguida uma visão em que lhe apareceu seu irmão Dinócrates, ao sair do Purgatório graças às suas orações, e outra em que lhe foi prometida a assistência divina no último combate.

Felicidade receava que, devido ao seu estado, não lhe permitissem morrer com a companheira, mas, três dias antes dos espetáculos públicos, deu à luz. Como as dores do parto lhe arrancassem gritos, um dos carcereiros observou-lhe: "Se tu te lamentas já dessa maneira, que será quando fores lançada às feras?". "Hoje sou eu que sofro, respondeu a escrava; nesse dia, sofrerá por mim Aquele por quem eu sofro". Deu à luz uma menina que foi adotada por uma mulher cristã.

Perpétua e Felicidade entraram alegremente no anfiteatro com os três companheiros. Envolveram-nas numa rede e entregaram-nas às arremetidas duma vaca furiosa. O povo cansou-se depressa de ver torturar as duas jovens mães, uma das quais ia perdendo o leite, e pediu que se acabasse com aquele espetáculo. Abraçaram-se então pela última vez. Felicidade recebeu o golpe de misericórdia impavidamente. Perpétua caiu nas mãos dum gladiador desastrado que falhou o golpe, "tendo-se visto ela própria na necessidade de dirigir contra o pescoço a mão trêmula do gladiador inexperiente". Estes martírios deram-se na era de 203.

Santas Perpétua e Felicidade, rogai por nós! 
www.cancaonova.com.br

quarta-feira, 6 de março de 2013

Dizimista Aniversarainte do mês

01/03
Daiane Carolina Belinelo

Geovana M Laurentino Pereira
Iracema Alves dos Santos
Maria Márcia Gonçalves Silva
Sergio Francisco Lopes
Sergio Clemente da Silva

02/03          
Agenor Crespi
Diogenes Okosnki
Elton Luis Felipini
Fernando Luiz Graciano Perez
Fabio Teixeira Dias
Jessica Fernanda dos Santos
Juvenal Joaquim dos Santos
Malena Erna Dorogi



Luciene Lima Raffa

Patricia Tenalia Marchini
Patrícia Marchini

Rodrigo Sacchi da Silva
Rodrigo Sacchi Silva


03/03          
Avelino Pivetta
Adelino Zanetti
Adriano Csara Bonfietti
Eunilce Moacyr Poletto Hernandes

Elizabete Rocha Belinelo
Laércio Quintana
Maria Aparecida da Silva
Marcelo Matias dantas
Zilda Berti da Silva



04/03   
Adelia Cazarini Guilherme
Elcio Corte
Gonçalo Donizete Mariano
Iraci Braga Manzatti
José Antonio Tezin
Paola Dalla Pria Batistella

05/03
Ana Mieko Watanabe Silva  
Denis Brantis
Maria Irene da Silva
Mateus Inacio Pagotto
Thainara Zanetti

06/03          
Camila Alves Teixeira da Silva
Joelma Cristina M de Castro Meira
Joice Aparecida Ferreira
Maria Fernanda Brantis de Carvalho
Malvina Gomes de Lima
Olga Bogar Nalin
Roselaine Maria Xavier
Valdemir Zacarone Dallapria

07/03          
Dalva Chapinote Duarte
Daniel Mutti Riguetti
Daiana Cristina Souza
George Estevan Michaeldis Junior
Paulo Sergio Baldo
Rafael Mutti Riguetti
Roque  Costa  Soares
Rafael Gomes S Jesus
Renan Gomes Souza de Jesus
Rodrigo Gomes de Jesus
Vinicius de Queiroz Ferreira
Valter Bergue Petek
Wilson Rainha

            
08/03          
Aurea Soares Cardoso
Adriana de Oliveira Favaro
Bianca Yamashita Calça
Darcy Braga dos Santos
Elza de Souza Marini
Helio Augusto Bego Regodanso
Matheus Gazola  Riguetti
Yuri Souza Moraes
Valcir Amaro


09/03          
Caroline Vieira da Silva
Gabriel Francisco  de Sá

10/03          
Bruno Florêncio Souza
Cleusa dos Santos Pessoa
Dirce Davanso
Edna Mitsue Okuzono de Oliveira
Eli Valda Dias Paiva’
Fabiane Martins Lima
Gabriel Augusto Gomes
Igor Gabriel Pereira
Marcelo Spegiorin Moreno
Maria Jeronima S Andrade
Maria Domingas Almeida Kayahara
Nadir Castelli Zanetti

11/03          
Ana Flavia Vicentine Zanardo
Bruno Hernandes Brito
Candido Calça
Jéssica Cota Dias
Nilce Otaviane Neves
Rossana Bertaglia Zanetti
Renato Julio Batista
Mario Antonio da  Silva

12/03            
Amaury José Saran Denofre
Adriano Lemes de Oliveira
Almir Corte
Andrea Xavier
Antonio Franco
Claudio Ross
Carmem Lucia Tomie M  Ferrareze
Claudio Nalin Duarte
Junior Cesar Catelan
Jessica Fernanda dos Santos
Glaucia Maria Crespan Fávero
Mila Cristy Bezerra Costa
Oliveiros Isidoro Franco
Rosa Mariconi Oliveira

13/03          
Aline Fernanda Santiago
Adriana Conelheiro de Souza
Ademir Soares da Costa
Elias Alcântara Garcia Junior
Luciano César Gonçalves
Vera Lúcia Bernardi Petek

14/03          
Carla Pitori
Caroline Peres Garcia
Ieda Aparecida F.Rodas El-Kadre
Josefina S Severino
Luiz Renato Martinez
Mateus de Souza Sanita
Maria do Carmo Miranda
Maria da Silva
 Rosinete Pereira Ferreira
Vanessa Gomes de Sena





15/03          
Antonio Pereira Silva
Elisangela da Silva Umberto
Elita Rocha Batista
Helena Cristina Martins Graciano
Jaqueline Lúcia Batistella Minami
Lindaura  Maria Alexandre Turibio
Juraci Soares
Vitor Alexandre Barreto Miranda

16/03          
Alice Razera Zaramelo
Eloana Lima Soto
Mariane Souza Raffa
Rosa Locatelli dos Santos
Rosa Locatelli
Sonia Aparecida Bertaglia


17/03          
Leonilda Silva Trevisan
João Pedro Cansian Batista
Maria Sueli Pereira Silva
Matilde Trevizan Palin
Paula Evolrlino da Silva

18/03          
Aline Aparecida Palácio
Emerson Rogério Luiz da Silva
Fernando Henrique Santos Matricardi
Helena Ap. Paladino  Santos
José Renato T Oliveira
Reginaldo Lima Miranda
Valderez Stelin Braga

19/03          
Antonio Nivaldo Calça
Bruna  Rodrigues da Silva
Beatriz Rodrigues das Silva
Edson Pedroso de Souza
Gregorio Jordão
Gustavo Rodrigues Segolin
José Antonio dos Santos
Leonice Aparecida T Biazon
Lilian Nassif Vidal
Mario Francisco M Nascimento
Mariane Tenaglia
Mariane Tenaglia
Roseli de Jesus
Sétima Aparecida Calça Parro

20/03          
José Faustino
Leonice Lurdes Pereira
Maria de Fátima Costa Marini
Nilda Santos Rodrigues

21/03          
Antonio Bento Tezin
Cristiane Nalin Manaia
Dileila Braga Vieira
José Maria de Melo
Lia Maura Aparecida Pivetti
Norma Maria Mendes Simão
Mariani Mendes Pio Santos

22/03          
Samires Furlaneto da Silva

 
23/03          
Aparecida Zonta Bevilaqua
Hugo Felipe Regodanso Nalin
Ludson Calça Rodrigues
Maria Fernanda Bezerra Costa
Mariana DallaPria Baptistella
Maria Rosa Lima Santos


24/03          
Berenice C. S. Marchiori
Denise Florêncio B Souza
Fabiana Albanez Angeloti
José Aparecido Santos
José Carlos da Silva
José Ricardo Sato
Regina Márcia Borini Soares

25/03          
Marina Marquioli Biazon
Sandra Regina Sacchi Silva
Santa Elza Favaro

26/03          
Ana Cristina Cruz Covolo Furlan
Davi Gustavo Laroca
Gisele Carmargo Marchioli
Edvaldo Joaquim Simão
Lorena Gonçalves Bueno
Rosalina Custódio
Taina Sarraceni Andrade
Valter Henrique Mendes



27/03          
Anizia Pedroso de Araújo
Adelia Bonfietti Rodrigues
Daniela Lorencetti
Henrique Queiroz Azevedo
Leonice Martins Furlan
Rafael da Cruz Silva
Ronaldo José Martinho
Rosimeire Cristiane Cabrera Sa

28/03          
Elivelton Pereia
Juliana Rossi
Nelci Ap Dias Pereira Santos
Sandra Cristina Pederiva

29/03          
Carlos Eduardo Oliveira Fidelis
Paulo Sergio Rocha

30/03          
Amanda Arias Vieira
Alex Ricardo da Mata
Angelo Gabriel Pedroso Rocha
Claudia de Oliveira Rocha Florindo
Matilde Francisca Gonçalves Oliveira

31/03          
André Roberto Kono
Augusto César Locatelli Santos
Ana Luisa da Silva Ramos
Bruna Micheli Pereira
José Vicentin Neto
Mary Lucia Antonello


"Que neste dia todas as alegrias do mundo sejam suas e que tua vida seja sempre marcada por bons momentos. Parabéns!"

Pe. Paulinho e Pastoral do Dízimo.

Dom Odilo discursa na Congregação Geral



cardeais06032013Terceiro dia de Congregações Gerais para os membros do Colégio Cardinalício, na Sala Nova do Sínodo, no Vaticano. Assim como na terça, a Congregação desta quarta foi realizada somente pela manhã.
No total, 33 cardeais fizeram pronunciamentos nas Congregações, entre eles o Arcebispo de São Paulo, Card. Odilo Scherer. Vários temas foram tratados, como atividade da Santa Sé e dos diferentes dicastérios e, sobretudo, a exigência da nova evangelização. Os cardeais se interrogam sobre como anunciar o Evangelho de modo positivo e propositivo.
Na tarde desta quarta-feira, às 17h, por iniciativa dos cardeais haverá um momento de oração pela Igreja no Altar da Cátedra da Basílica Vaticana. A celebração terá início com a oração do Terço e dos mistérios gloriosos em latim e italiano; seguirá a exposição do Santíssimo e um breve tempo de adoração, depois as Vésperas. Por fim, a bênção eucarística será concedida pelo Arcipreste da basílica, Card. Angelo Comastri.
De acordo com o diretor da Sala de Imprensa da Sata Sé, padre Federico Lombardi, ainda não há uma data definida para o início do Conclave.
Fonte : CNBB/ RÁDIO VATICANO

Santo do Dia


Santa Rosa de Viterbo
1234- 1252

 Santa Rosa de Viterbo

Rosa viveu numa época de grandes confrontos, entre os poderes do pontificado e do imperador, somados aos conflitos civis provocados por duas famílias que disputavam o governo da cidade de Viterbo. Ela nasceu nesta cidade num dia incerto do ano de 1234. Os pais, João e Catarina, eram cristãos fervorosos. A família possuía uma boa propriedade na vizinha Santa Maria de Poggio, vivendo com conforto da agricultura. 

Envolta por antigas tradições e sem dados oficiais que comprovem os fatos narrados, a vida de Rosa foi breve e incomum. Como sua mãe, Catarina, trabalhava com as Irmãs Clarissas do mosteiro da cidade, Rosa recebeu a influência da espiritualidade franciscana, ainda muito pequena. Ela era uma criança carismática, possuía dons especiais e um amor incondicional ao Senhor e a Virgem Maria. Dizem que com apenas três anos de idade transformava pães em rosas e aos sete, pregava nas praças, convertendo multidões. Aos doze anos ingressou na Ordem Terceira de São Francisco, por causa de uma visão em que Nossa Senhora assim lhe determinava. 

No ano de 1247 a cidade de Viterbo, fiel ao Papa, caiu nas mãos do imperador Frederico II, um herege, que negava a autoridade do Papa e o poder do Sacerdote de perdoar os pecados e consagrar. Rosa teve outra visão, desta vez com Cristo que estava com o coração em chamas. Ela não se conteve, saiu pelas ruas pregando com um crucifixo nas mãos. A notícia correu toda cidade, muitos foram estimulados na fé, e vários hereges se converteram. Com suas palavras confundia até os mais preparados. Por isto, representava uma ameaça para as autoridades locais. 

Em 1250, o prefeito a condenou ao exílio. Rosa e seus pais foram morar em Soriano onde sua fama já havia chegado. Na noite de 5 de dezembro 1251, Rosa recebeu a visita de um anjo, que lhe revelou que o imperador Frederico II, uma semana depois, morreria. O que de fato aconteceu. Com isto, o poder dos hereges enfraqueceu e Rosa pode retornar a Viterbo. Toda a região voltou a viver em paz. No dia 6 de março de 1252, sem agonia, ela morreu. 

No mesmo ano, o Papa Inocêncio IV, mandou instaurar o processo para a canonização de Rosa. Cinco anos depois o mesmo pontífice mandou exumar o corpo, e para a surpresa de todos, ele foi encontrado intacto. Rosa foi transladada para o convento das Irmãs Clarissas que nesta cerimônia passou a se chamar, convento de Santa Rosa. Depois desta cerimônia a Santa só foi "canonizada" pelo povo, porque curiosamente o processo nunca foi
promulgado. A canonização de Rosa ficou assim, nunca foi oficializada.. Mas também nunca foi negada pelo Papa e pela Igreja. Santa Rosa de Viterbo, desde o momento de sua morte, foi "canonizada" pelo povo.

Em setembro de 1929, o Papa Pio XI, declarou Santa Rosa de Viterbo a padroeira da Juventude Feminina da Ação Católica Italiana . No Brasil ela é A Padroeira dos Jovens Franciscanos Seculares. Santa Rosa de Viterbo é festejada no dia de sua morte, mas também pode ser comemorada no dia 4 de setembro, dia do seu translado para o mosteiro de Clarissas de Santa Rosa, em Viterbo, Itália.
www.paulinas.com.br

terça-feira, 5 de março de 2013

Orionitas com o Papa Bento XVI




Ir. Marcio com o Papa Bento XVI no ano passado. Os Orionitas sempre presentes com o Papa

Santo do Dia


São João José da Cruz
1654-1734

 São João José da Cruz

Nasceu na ilha de Ischia com o nome de Carlos Caetano Calosirto, aos 15 de agosto de 1654, na cidade de Ponte, Itália, filho do nobre José e de Laura. Recebeu os ensinamentos básicos e os alicerces religiosos frequentando os colégios dos padres agostinianos, na própria ilha. 

Aos quinze anos optou pela vida religiosa pela grande vocação que sentia, ingressando na Ordem dos Franciscanos descalços da Reforma de São Pedro de Alcântara, conhecidos também como alcantarinos, pela austeridade das Regras dessa comunidade, dependentes do convento de Santa Lucia, em Nápolis. 

Tomou o nome de João José da Cruz e fez o noviciado sob a orientação monástica do padre José Robles. Em 1671 foi enviando com mais onze sacerdotes, dos quais ele era o mais jovem, para o Piedimonte d'Alife para construírem um convento. Diante das dificuldades encontradas no local não hesitou em juntar as pedras com suas próprias mãos, depois usando cal, madeira e um enxadão fez os alicerces. Estimulando assim os outros sacerdotes e o povo, que no começo acharam que ele era louco, mas, percebendo que estavam errados começaram a ajudá-lo, de modo que um grande convento foi edificado em pouco tempo. João José da Cruz ordenou-se sacerdote em 1677. 

Ao completar vinte e quatro de idade foi nomeado mestre dos noviços e, quase ao mesmo tempo, guardião da ordem do convento. Durante a sua permanência em Piedimonte, construiu, num local isolado na encosta do bosque, um outro pequeno convento chamado de "ermo", ainda hoje meta de peregrinações, para poder rezar em retiro. Conseguiu ainda, trabalhando de forma muito ativa e singular, construir o convento do Granelo em Portici, também em Nápolis. 

João José da Cruz era muito austero, comia pouco, só uma vez ao dia, dormia poucas horas, tinha o hábito de se levantar a meia noite para agradecer a Deus pelo novo dia. Tornou-se famoso entre o povo por sua humildade e foi venerado ainda em vida pela população por causa de sua extrema dedicação aos pobres e doentes. Fazia questão de ser pobre na vida e na própria personalidade, como São Francisco de Assis, seu modelo de vida.

Em 1702 foi nomeado vigário provincial da Reforma de São Pedro de Alcântara, na Itália. Assim a Ordem, abençoada por Deus, desceu de Norte a Sul, adquirindo um bem espiritual tão grande que chegou ao Vaticano, o qual tornou a reunir os dois ramos dos alcantarinos. Dessa forma o convento de Santa Lúcia voltou para os padres italianos e João Jose da Cruz retornou para lá. Nele viveu mais doze anos na santa austeridade e, segundo os registros da Igreja e a tradição, realizando prodígios e curas para seus amados pobres e doentes. Morreu no dia 05 de março 1734, sendo sepultado nesse mesmo convento.

Foi beatificado pelo papa Gregório XVI, em 1839. As relíquias de São João José da Cruz, foram transferidas para o convento franciscano da ilha de Ischia, onde nasceu, e é venerado no dia se sua morte.
Fonte:www.paulinas.org.br

segunda-feira, 4 de março de 2013

Santo do dia


São CasimiroMesmo sendo patrono da juventude da Lituânia, o santo de hoje é modelo para todas as idades. Seu nome significa 'comandar'. De fato, com a graça de Deus e muito esforço, foi comandando ao longo de sua vida, todo o pensar, todo falar, todo o querer para Deus.

Filho do rei da Polônia e de família católica, Casemiro nasceu no ano de 1454. Com a ajuda da oração, da penitência, da direção espiritual e até do Papa do seu tempo, ele pôde discernir que seu chamado não era suceder ao seu pai. Renunciou ao trono, mas não deixou de ser solidário à realidade paterna, às necessidades do reino, sendo braço direito no governo de seu pai.

Teve toda uma vida de ascese e sacrifício, sendo modelo para a juventude.

Faleceu com apenas 26 anos.

São Casimiro, rogai por nós!
Fonte:www.cancaonova.com.br

Chá das Madrinhas de Vocações

No dia 02 de Março aconteceu o chá das madrinhas de vocações, foi servido diversos tipos de lanches e refrigerantes e sorteio de brindes,  agradecemos a participação de todas.





terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Santo do dia


São Porfírio

São PorfírioNascido do ano de 353 em Tessalônica da Macedônia, Porfírio foi muito bem formado pelos seus pais, numa busca de piedade e vontade de Deus. Com 25 anos foi para o Egito, onde viveu a austeridade. Depois, seguiu para a Palestina, vivendo como eremita por 5 anos. Devido a uma enfermidade seguiu para Jerusalém, onde se tratou.

São Porfírio percebia que faltava algo. Ele tinha herdado uma grande fortuna, e já tendo discípulos - que vendo a ele seguir a Cristo, também quiseram seguir nosso Senhor nos passos dele - ele ordenou que esses discípulos fossem para Tessalônica e vendessem todos os bens. Ele então, pôde dar tudo aos pobres.

Ele estava muito doente, mas através de uma visão, o Senhor o curou. Mais tarde, passou a trabalhar para ganhar o 'pão de cada dia', sempre confiando na Divina Providência.

O Patriarca de Jerusalém o ordenou sacerdote, e depois Bispo em Gaza, tendo grande influência politica e na religiosidade de todo o povo. Por meio do Espírito Santo e das autoridades, conseguiu que os templos pagãos fossem fechados, e os ídolos destruídos. Não para acabar com a religiosidade, mas para apontar a verdadeira religião: Nosso Senhor Jesus Cristo, único Senhor e Salvador.

Faleceu no século V, deixando-nos esse testemunho: nossa fé, nossa caridade, precisam ter uma ressonância dentro e fora da Igreja, para a glória de Deus e Salvação de todas as pessoas.

São Porfírio, rogai por nós!
                                                                                                                                                                    www.cancaonova.com.br

Fãs do Diário